O que te faz gostar de um personagem?
Desde que a segunda temporada de Skins começou, eu fico me perguntando isso. Justamente porque, para além das semelhanças que eu encontro entre algumas figuras televisivas e cinematográficas, as diferenças berrantes entre eu, e eles, e entre minha realidade, e a deles, é o que conta e me encanta nos dito cujos. O que me acontece muito em Skins.
Acabei de ver TRAINSPOTTING, filme de 1996 dirigido por Danny Boyle (o mesmo diretor do famoso-mas-nem-tanto: Extermínio), acho que foi um dos primeiros filmes do Ewan McGregor a fazer grande sucesso. E o filme conta a história de um grupo de amigos escoceses viciados em heroína, e suas desventuras relacionadas com a droga. Basicamente, eu terminei o filme querendo ficar amigo de todos os personagens, simplesmente porque todos eles são excêntricos o suficiente pra você não conseguir ficar com raiva deles. E o personagem principal tem uma característica rara de se ver em enlatados norte-americanos, o cara simplesmente não se importa. Não tá nem aí se vai ofender, dificilmente se sente ofendido, e nos surpreende cuidando de pessoas que você não imaginou que ele se importasse tanto, e traindo os amigos que você pensa que ele tanto gosta.
É tão legal ver alguém despreocupado dessa forma, que a diversão do filme acaba sendo apenas ter ele ali na sua frente só pra história não acabar. Sem expectativas e sem suspenses que já são tão usados e abusados por outros filmes que já desgataram em muito sua fórmula. E sem falar na trilha sonora do filme que é um adendo freudástico ao filme. Mas eu espero vocês verem pra comentarmos a trilha.
Filmaço; assim como Estamira que eu vi ontem, mas ainda não encontrei palavras para comentá-lo.

0 comentários:

 
Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul .