Como amar um serial killer?


Antes de ir dormir, mesmo sabendo que eu não vou conseguir pois estou muito anciosa pra amanhã (vou apresentar um trabalho naquele encontro que falei no post anterior), eu terminei de ver a primeira temporada de Dexter e confesso que meus olhos se encheram de lágrimas.

Eu nunca dei muita importância à série, azar o meu que tô tendo que ver tudo de uma vez pra tirar o atraso.

Dexter é a história de um serial killer que tenta viver como se fosse um ser humano normal como os outros. Ele trabalha na perícia de Miami como perito em sangue, mas em seus momentos de folga procura suas vítimas que são sempre assassinos que ou não foram pegos pela polícia ou não tiveram a pena suficiente para uma possível reabilitação e podem voltar a matar a qualquer momento. Ou seja, parece ser a história de um cara que faz justiça pelas próprias mãos, mas não é esse o caso. O personagem possui tipo um código de ética para matar pessoas, pois o seu pai adotivo, também policial, mas que morreu há dez anos, tentou ajudá-lo a controlar o seu instinto assassino e lhe ensinou tudo pra não ser descoberto e meio que impôs regras ou esse código para os assassinatos do filho.

Nessa primeira temporada, Dexter teve que lidar com a presença de outro serial killer e com a volta de lembranças de sua infância traumática. Não vou contar muita coisa não, nem se preocupem.

O que eu queria dizer hoje é que a série me surpreendeu, pois tenta mostrar o lado humano de um assassino, ou melhor, de um serial killer. E como ele é o personagem principal, os roteiristas traçam uma trajetória pro personagem que, mesmo que saibamos que ele mata pessoas, ele tem um lado humano que está por ser descoberto. A gente fica com pena dele em alguns momentos, sofre por ele, como foi o meu caso no último episódio. Então, é possível amar um serial killer?

Fico pensando como será o final da série: será que ele vai ser descoberto? e se for, será que nós espectadores iremos querer que ele sofra as conseqüências pelos seus atos criminosos? Se não quisermos, somos então a favor da pena de morte, da justiça pelas próprias mãos? É bem complicado, mas é genial e corajoso criar um personagem principal que na verdade é um anti-herói.

Agora vou deixar baixando a segunda temporada e vou tentar dormir, se bem que vocês nem precisam saber desses detalhes, não é mesmo?

bjú

;)

4 comentários:

blog da pipoca disse...

"Dexter" é uma série que tem de ser apreciada do início ao fim. Se gostou da 1ª temporada, então vai adorar a 2ª. Vai ver um Dexter mais humano que nunca, e mais nao digo pois nao quero estragar a surpresa.

Myrianna Coeli disse...

Pois é. Ainda bem que vc não disse mais nada. rsrsrsrsrs

A série é tão legal e como sou estudante de Rádio e TV, tô pensando em estudá-la. Vamo ver no que é q vai dá.

Taty Macoli disse...

é legal sim. Gosto que só da abertura!

Meu sonho é voltar a escrever aqui, mas ainda não dá.

bjs

mariasamara disse...

"Como amar um serial killer?"

Fácil, ele sendo interpretado por Michel C. Hall! rs

Brincadeira, DExter é excelente e não só por causa da interpretação de Michel C. Hall. A segunda temporada foi melhor que a primeira, e a terceira tem tudo pra ser muito boa tb. Falei do primeiro episódio que vazou aqui: http://boxfechado.com/morgan-e-moddy-voltam-antes-do-previsto/#more-1248

 
Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul .