O dia em que Chicó é rei!


Quem nunca viu O Auto da Compadecida? Este é um daqueles filmes que assistimos uma vez e não nos cansamos nunca de vê-lo novamente, não é mesmo? Pra mim uma das melhores coisas feitas pelo cinema brasileiro, mesmo sendo da Globo Filmes (olha o preconceito), mesmo tendo uns enquadramentos toscos em alguns momentos, mesmo tendo uma linguagem televisiva, enfim. Apesar dos defeitos, não posso negar que a história é maravilhosa e a forma como Guel Arraes conta também é muito bom de se ver.

Hoje prometo que farei um post bem pequeno pra compensar o de Battlestar Galactica, ok? E não é pegadinha do Dia da Mentira não, podem confiar.

O filme de Guel Arraes foi lançado em 2000 e é baseado no livro do escritor cearense Ariano Suassuna; conta as loucas histórias de João Grilo e de seu amigo Chicó. Não preciso colocar sinopse, e nem falar da maestria de grandes atores no filme. Isso vocês já sabem de có e salteado e já não é mais nenhuma novidade. O que pretendo fazer hoje com vocês é um pequeno levantamento das milhões de mentiras contadas por Chicó, vocês lembram? E pra não ser tão injusta vamos lembrar também das tramoias de João Grilo. Claro que não vou conseguir citar todas, tô googleando à procura delas, pois estou sem tempo de ver o filme novamente. Então, me ajudem aí, por favor.

Ok, não achei no Google. Podem criticar minha "ignorança". Sem conseguir pelo site de buscas que sabe quase de tudo, fui ver o filme mais uma vez (na verdade, só um pedacinho) e separei alguns fatos curiosos da vida de Chicó:

1. Logo de cara Chicó vem com uma história de uma mulher que pariu um cavalo lá na Serra do Arari, lá pelas bandas do Ceará. Imaginem só uma coisa dessa. Deus me livre!

2. Uma vez ele correu das 6 da manhã às 6 da noite de uma só vez e sem parar montado em um cavalo bento e foi parar no Sergipe. João Grilo pergunta como ele conseguiu atravessar o Rio São Francisco, a resposta vocês já sabem.

3. Quando Chicó morou no Amazonas ele laçou um Pirarucu tão grande que na verdade o peixe foi quem pescou Chicó. Este ficou com os braços laçados e foi puxado pelo Pirarucu por 3 dias e 3 noites. Quando o coitadinho do peixe morreu Chicó conseguiu acenar e as pessoas vieram lhe salvar. Mas, como ele acenou se estava com os braços laçados?

4. Por último: Chicó teve um papagaio que ele conheceu desde o nascimento. Nessa época ele morava no Seminário. Assim, o Papagaio aprendeu a Bíblia completa e quando eles saíram de lá foram para uma cidade que não tinha padre por perto. O jeito foi o papagaio fazer o papel de padre naquela cidade. Depois, o pássaro se convertou à Igreja Batista e ele não teve mais notícias só quando o pobre morreu de velhice. Mas, papagaios vivem mais de 100 anos e ele viu o pássaro nascer, como o coitadinho morreu de velhice?

Pra todas essas perguntas Chicó sempre teve um "forte" argumento e aceito por todos: "Não sei, só sei que foi assim!". Quem nunca repetiu essas palavras? rsrsrsrs

O personagem merece toda a nossa admiração, com certeza. E não é porque eu tenho um amor platônico por Selton Melo não, viu? É porque Chicó é um tipo de mentiroso que encanta: é um mentiroso ingênuo, sonhador. Já João Grilo, é aquele mentiroso malandro, mas que não deixa de ser um personagem tão admirável quanto Chicó, claro. Vide o processo de convencimento que ele trava com o padre para que este venha a benzer o cachorro da sua patroa. Cena clássica!

Enfim, gente, espero que vocês tenham gostado de relembrar esses fatos curiosos da vida de Chicó e, por favor, acrescentem a essa lista as demais histórias. E salvem o dia em que Chicó é rei!!

bjú

Myri

3 comentários:

Taty Macoli disse...

Eu atoro o auto da compadecida... Penso q é uma das melhores coisas já produzidas pela Globo, porque tem qualidade e porque atinge um público imenso.

enquadramentos toscos?

=*
Taty

O Cara da Locadora disse...

Não podemos dizer que técnicamente é um filme perfeito, concordo... Mas com a história sensacional do Suassuna que mistura Sheakspeare com o Sertão Nordestino e a maestria de atuações dignas de prêmios, como o Mello o Natchergalle, o Nanini e tantos outros, faz com que esse filme seja realmente uma obra prima...

Myrianna Coeli disse...

Pra mim é um dos melhores, com certeza. E os enquadramentos toscos é que em alguns momentos uma parte das cabeças dos atores é cortada, mas acho que acontece só umas duas vezes. Pelo que eu lembro.

 
Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul .